Educação musical Educação musical

Educação musical na escola: qual é a importância e como se especializar?

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Ser um pedagogo no Brasil é uma profissão com muitos desafios, mas também com muitas alegrias. Como é bom poder acompanhar de perto o desenvolvimento de um aluno e o seu crescimento como ser humano, certo? Trabalhar com a educação musical na escola é uma maneira de se aproximar dos estudantes e auxiliá-los no desenvolvimento de habilidades motoras, cognitivas, afetivas e sociais.

A música tem o poder de transformar as pessoas ao criar um ambiente propício para o aprendizado, a troca de informações e o conhecimento cultural. Quer saber como agregar isso ao seu método de ensino e promover uma educação do futuro? Explicamos sobre o assunto a seguir!

Qual é a importância de se incluir educação musical no currículo escolar?

A educação musical gera um impacto na criança como um todo. O pensamento musical tem uma lógica coerente, e o aluno passa a perceber se determinada situação faz sentido musicalmente ou não.

Aulas de musicalização contribuem para desenvolver a sensibilidade, a expressão e o ritmo. As crianças também passam a ter “um ouvido mais apurado” para o universo sonoro e musical, reconhecendo sons que são mais harmoniosos.

“O pensamento musical é rigoroso, mas permite a liberdade de resultados e soluções. Essa flexibilidade que a criança desenvolve ao fazer música é fundamental para ela trazer esse recurso para a vida, seja para resolver questões práticas do dia a dia ou questões lógicas”, explicou Marcelo Petraglia, coordenador de pós-graduação da Faculdade Rudolf Steiner.

O estudo da música ainda favorece a concentração, a coordenação motora e a sociabilização entre os estudantes, sendo um excelente caminho para a transformação social.

Quais são os benefícios da Educação Musical?

As aulas de música contribuem para o desenvolvimento de diferentes aspectos nos alunos que serão importantes para toda a vida. Separamos os principais para você conhecer.

Desenvolvimento cognitivo

A música melhora o raciocínio lógico das crianças, pois trabalha todo o processo cognitivo. Um estudo da Faculdade de Medicina de Vermont, nos Estados Unidos, analisou o desenvolvimento do cérebro de 232 crianças de 6 a 18 anos que tocavam algum instrumento. A pesquisa identificou que a música melhora a capacidade de atenção, o gerenciamento da ansiedade e o controle emocional.

Quanto antes a criança inicia esse processo, maior será o efeito percebido. Isso porque os pequenos estão em um processo cognitivo mais intenso e elástico, com grande potencial de assimilação das informações.

Criatividade

A música também é um meio de estimular a criatividade nas crianças. Elas podem testar sons diferentes, combinar instrumentos, testar técnicas e criar melodias durante as aulas.

Manifestação cultural

A música está presente em todos os países e culturas, cada uma com um jeito diferente de expressar emoções e sentimentos. Por isso, a educação musical também é um processo que amplia os horizontes culturais das crianças e desenvolve um respeito ao próximo.

Como implementar a educação musical na escola?

A educação musical pode fazer parte de todas as disciplinas em sala de aula. Em aulas de Geografia, por exemplo, é possível estudar as músicas de cada povo para unir os aspectos teóricos sobre determinada região à cultura da música. Assim, o aluno vivencia melhor determinado período e aprende.

Ao utilizar a música em aulas de história, por exemplo, a criança aprende a cantar as músicas de determinada cultura e tem um contato maior com o sentimento da pessoa daquela época. Ela une conhecimento literário e poético às suas emoções e passa a compreender melhor o tema.

“No estudo de línguas, isso fica muito mais evidente porque, aprendendo a cantar em outra língua, você se apropria de uma forma muito mais direta a riqueza e sutileza de outro idioma”, explicou Marcelo Petraglia. Logo, a criança consegue se conectar com aquela cultura e criar vínculos com a língua.

Esse modelo de educação ajuda a criar vínculos sociais ao fazer a criança participar e entender o mundo ao seu redor.

O papel dos instrumentos na educação musical

Os instrumentos são ferramentas utilizadas para o ser humano se expressar. A própria voz é um instrumento, pois ela é utilizada em nossa comunicação.

A percussão, os sopros e os outros instrumentos têm características específicas que contribuem no desenvolvimento de determinadas habilidades que são importantes para os alunos, seja a coordenação motora, a respiração ou demais peculiaridades.

“Além de questões motoras, o instrumento permite tocar em uma orquestra, em um grupo, criar algo. O instrumento de sopro vai desenvolver um aspecto mais melódico, o de percussão trabalha uma questão mais rítmica, motora, com coisas mais dinâmicas nesse sentido”, afirma Marcelo.

Como preparar-se e qualificar-se para oferecer educação musical?

É muito importante que o educador desenvolva a sua musicalidade para compreender melhor esse universo. Além disso, ele também precisa conhecer o desenvolvimento infantil, desde os primeiros anos de vida até a juventude.

O professor precisa ter uma compreensão do processo de aprendizado, o que é adequado e possível para cada faixa etária para aproveitar a janela de aprendizado. Além disso, o educador que entende e se dedica à música também compreende o significado dos elementos musicais, dos ritmos e das melodias. Conhecer os dois aspectos permite fazer uma ponte entre as áreas para trabalhar de forma adequada com a música em sala de aula.

“Se o professor tem o conhecimento, ele se torna uma pessoa bastante autônoma e criativa no seu fazer pedagógico, porque ele vai saber, diante de situações específicas, que cada criança é uma criança. Você tem que saber adequar isso”, ressaltou Marcelo.

Todo ser humano tem musicalidade, mas ela pode ser desenvolvida e aperfeiçoada. Por esse motivo, trabalhar com a educação musical é imprescindível para estimular a capacidade motora, a socialização e o pensamento lógico.

É papel do professor buscar os melhores caminhos para estimular o aprendizado das crianças e dos jovens. A educação musical torna-se importante nesse processo, uma vez que atrai a atenção dos alunos e facilidade a compreensão dos temas. Além disso, ela desenvolve habilidades imprescindíveis para o futuro profissional, como a capacidade de lidar com os sentimentos, a concentração e a facilidade de se comunicar com os outros.

A Faculdade Rudolf Steiner tem cursos específicos para desenvolver a musicalidade nos professores. Ao compreender o universo da música, você será capaz de aplicar as técnicas em sala de aula e estimular os alunos.

Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato e converse com nossa equipe.

Foto: Alunos do Núcleo Monte Azul no Congresso Pedagogia Waldorf Sesc Santo Amaro, foto Ana Fuccia.

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário