formação de um professor Waldorf formação de um professor Waldorf

Entenda como se dá a formação de um professor Waldorf

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Ser professor no Brasil é um tanto desafiante. A baixa valorização da profissão e o clima negativo existente em certos ambientes escolares até levam alguns profissionais a pensar na troca de carreira. Todavia, quando visamos ao autodesenvolvimento pessoal e profissional, muitas dificuldades podem ser superadas. Nesse sentido, investir na formação de professor Waldorf é uma solução.

Os professores que se dedicam à Pedagogia Waldorf são tidos como agentes transformadores. Porém, para estarem aptos a promover o desenvolvimento de seus alunos, precisam, antes, passar por uma mudança interna, que inclui aumento da autopercepção e aprimoramento artístico e cognitivo.

Uma das premissas por trás desse modo de ensinar é formar seres humanos mais preparados e adaptados à vida no lugar de alunos que apenas tiram notas altas. Além de ser positivo às crianças, o profissional tende a encontrar mais realização, já que o trabalho se torna mais humanizado.

Quer conhecer mais sobre essa formação de professores? Então, acompanhe o texto!

Por dentro da Pedagogia Waldorf

Em 1919, o filósofo austríaco Rudolf Steiner desenvolveu uma pedagogia peculiar a fim de enriquecer a educação das crianças. Ele via o desenvolvimento infantil a partir de 3 bases: psíquica, espiritual e corpóreas. Assim, todas as atividades escolares as tinham como referência. 

Para essa pedagogia, os 7 primeiros anos da criança costumam proporcionar um brincar livre De modo geral, as escolas Waldorf têm ambientes cooperativos e com grande foco em trabalhos manuais e artísticos. Alguns teóricos afirmam que existe certa semelhança com o sistema de ensino da Finlândia, já que lá a inteligência emocional e a criativa também são estimuladas, mas, claro, são apenas aspectos parecidos.

A alfabetização inicia-se após os 6 anos de idade. Nessa fase, também se busca o desenvolvimento da capacidade de pensar e sentir, além do fortalecimento da autonomia.

As escolas Waldorf seguem as diretrizes do MEC (Ministério da Educação), com as disciplinas básicas como Português, Matemática, História, Ciências e Geografia. Contudo, também há aulas de dança, artes, música, teatro. Incluem ainda, no currículo educacional, a promoção do desenvolvimento corpóreo e do autoconhecimento. 

O respeito à individualidade da criança é uma das características mais fortes. O ensino é propiciado no momento certo, de acordo com a formação de cada uma. Não é raro existirem atividades escolares personalizadas de acordo com capacidades e interesses diferentes. Nessa educação, as famílias costumam ser mais integradas e existe, entre a maioria, o incentivo para uma alimentação mais natural. 

Mais um traço dessa pedagogia é a constante auto-educação do profissional, que está sempre em busca de grupos de estudos, encontros regionais, cursos e congressos específicos.

Os benefícios da Pedagogia Waldorf

Maria do Carmo Abi-Sâmara, coordenadora da pós-graduação na Faculdade Rudolf Steiner, nos conta que, quando esse método foi concebido por Rudolf Steiner, ele tinha em mente uma educação integral e, ao mesmo tempo, individual do ser humano.

Alguns dos grandes benefícios são o autoconhecimento e a autonomia, incentivados desde cedo. A criança aprende a entender suas vontades e a respeitar os limites. Dessa forma, cresce segura e mais equilibrada emocionalmente.

A pedagogia Waldorf rompe com o método tradicional, o qual coloca o indivíduo como um ser passivo na sala de aula, obrigando-o a escutar e decorar. Pode-se dizer que esse sistema promove uma aprendizagem mais ativa e é mais inclusivo, pois não considera um único caminho como certo.

Também há muito contato com natureza, contos infantis e várias vertentes das artes e cultura. Isso fomenta a imaginação da criança e a torna uma pessoa mais criativa, com facilidade de encontrar saídas para problemas na fase adulta.

Formação de professor Waldorf X professor tradicional

A formação do professor Waldorf passa por um caminho de autoconhecimento e transformação pessoal, além de conteúdos específicos da pedagogia Waldorf. A matriz curricular conta também com Artes Plásticas, Música, Teatro, Dança e trabalhos de incentivo à criatividade, à sensibilidade e à autopercepção.

Maria do Carmo explica: “todo o currículo Waldorf se baseia em um ensino ampliado. São levados em consideração o aspecto cognitivo, o aprendizado, a aquisição de conhecimento e os processos artísticos e corpóreos. O objetivo é trabalhar em equilíbrio tanto no âmbito do pensamento quanto no do comportamento. Chamamos isso de harmonia entre o pensar, o sentir e o querer”. 

Vale ressaltar que, na faculdade Rudolf Steiner, há estágios, realizados em escolas Waldorf, momentos nos quais o profissional compreende a teoria vista na em sala de aula. Ao final do curso, existe o TCC.

As especializações Waldorf também são indicadas mesmo para quem não pretende trabalhar com disciplinas específicas. Maria do Carmo esclarece: “a pedagogia Waldorf tem uma metodologia própria e requer uma formação especial. Com a pós, o profissional se aproxima das ideologias e aprimora técnicas de sala de aula. É um ensino específico e precisa ser compreendido com profundidade”.

A contribuição Waldorf para o desenvolvimento pessoal

Segunda a coordenadora, essa pedagogia não se limita a fazer com que o profissional adquira conhecimento para, depois, transmiti-lo ao aluno: “acreditamos que o professor, ao se colocar na frente da turma, se leva por inteiro, e não apenas seu conhecimento em Português ou Matemática, por exemplo. Ele leva suas habilidades pessoais, como a inteligência emocional”, explica. 

“O profissional preparado é aquele que não foca apenas na transmissão de informação, mas também em se autodesenvolver, ampliando seu espaço interno”. Assim, o professor Waldorf precisa entrar em um processo de sensibilização e autopercepção. Como Artes é muito utilizada na sala de aula, o aprimoramento dessa habilidade também é incentivado. 

“Auxiliamos o professor a entrar em uma sala de aula sabendo tocar, minimamente, uma flauta, não ter vergonha de cantar, ter jeito para mexer com tinta e fazer trabalhos criativos. Para ter coragem de fazer isso, é preciso de competências pessoais, que são desenvolvidas em nossos cursos de formação”.

Por fim, ela conclui: “a educação precisa conduzir o ser humano a um bem-estar social e harmônico, sem deixar de considerar que ali existe um indivíduo com potencialidades, habilidades e essência particulares”. Assim sendo, a formação de professor Waldorf valoriza aspectos mais humanos e tende a ser a resposta para quem procura um tipo de ensino que traga mais sentido ao trabalho. 

Gostou de conhecer mais sobre essa formação? Caso tenha ficado com dúvidas ou precise de mais informações sobre nossos cursos, é só entrar em contato!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário