rudolf steiner rudolf steiner

Quem foi Rudolf Steiner? Conheça sua história e seus legados

7 minutos para ler

Fundador da Antroposofia e da Pedagogia Waldorf, Rudolf Steiner trouxe grandes contribuições para uma sociedade mais humana. Filósofo, escritor, artista e estudioso, ele foi também um homem muito prático, concretizando ideias e influenciando vários colegas que, sob suas orientações, promoveram inúmeras áreas de atuação da Antroposofia.

Neste artigo, você saberá um pouco mais sobre a vida de Rudolf Steiner, quais foram os pontos altos da sua biografia e como surgiu a primeira escola Waldorf. Confira detalhes sobre sua infância, além de outras particularidades da sua vida que influenciaram as obras e ciências desenvolvidas por ele. Boa leitura!

Quem era Rudolf Steiner?

Rudolf Steiner nasceu no dia 27 de fevereiro de 1861, em Kraljevec — na época, uma cidade da Áustria; atualmente, Croácia. Filho mais velho de pais também austríacos, teve uma infância rica de vivências em meio à natureza que cercava o lugarejo, onde o pai trabalhava como funcionário da estrada de ferro.

Depois de um impasse com o professor de Rudolf Steiner, o pai dele decidiu tirá-lo da escola e manter a educação do filho por conta própria. Muito curioso, Steiner aproveitava os momentos após as lições para entender como as coisas funcionavam e, enquanto caminhava, tinha longas conversas com as pessoas da comunidade local com quem encontrava.

Mudança para estudar e trabalhar

Na sua juventude, seu pai o enviou a Viena para que ele cursasse o ginásio e colégio, ingressando em seguida na Escola Politécnica da cidade. Já durante essa época, Rudolf Steiner trabalhava como professor particular, muitas vezes, para os próprios colegas de classe.

Um evento que marcou a biografia dele foi a ocupação como professor particular de 4 irmãos, entre os anos de 1884 e 1890. Um dos estudantes tinha hidrocefalia e mal conseguia conversar, após o acompanhamento de Steiner, o garoto teve um grande avanço e, mais tarde, se formou em medicina.

Antes disso, em 1882, ele começa a editar as obras científicas de Goethe, sendo convidado, em 1890, a atuar nos arquivos de Schiller-Goethe, em Weimar. Além de ajudar a catalogar a extensa obra do autor, ele aprofunda seus conhecimentos na vida e nos livros do escritor alemão. Assim, de 1892 a 1897, Steiner teve um trabalho intenso sobre Goethe, o que influenciou muito sua perspectiva e pesquisa.

Em 1891, Steiner conclui seu doutorado em filosofia com a tese Verdade e CiênciaPrelúdio para uma Filosofia da Liberdade, embrião da obra: A Filosofia da Liberdade, publicada em 1894, depois de um encontro e troca de correspondências com Haeckel, biólogo alemão.

Criação da Sociedade Antroposófica

Em 1897, Steiner vai para Berlim exercer o cargo de editor de uma revista literária e se posiciona contra o antissemitismo. Entre 1899 e 1904, ele atua como professor na Escola de Formação para Trabalhadores. Nesse intervalo de tempo, em 1900, também entra para a Sociedade Teosófica desenvolvendo um trabalho muito importante dentro dela.

Em 1913, Rudolf Steiner rompe com a Sociedade Teosófica fundando a Sociedade Antroposófica e realiza a primeira construção do Goetheanum (em madeira) em Dornach, na Suíça.

Casamento e pesquisas

Em 1914, Rudolf Steiner casa-se com Marie Von Sivers, que passa a se chamar Marie Steiner. Nos 10 anos seguintes, ele desenvolve várias áreas do conhecimento humano a partir da perspectiva antroposófica, como:

  • arte;
  • euritmia;
  • pedagogia;
  • vida social;
  • medicina antroposófica e farmacêutica (elaboração de medicamentos antroposóficos);
  • terapias;
  • agricultura;
  • apicultura;
  • arquitetura;
  • teologia.

Em 1923, após um incêndio, é projetado e começa a ser construído o 2º Goetheanum no mesmo lugar onde estava o anterior, mas agora em concreto. Em 30 de março de 1925, Rudolf Steiner morre deixando um legado de mais de 350 livros e milhares de palestras registradas.

A partir de então, sua esposa dedicou a vida a organizar e publicar diversos estudos de Rudolf Steiner, seguindo instruções que o próprio autor deixou para ela.

Quais são os seus principais legados?

Uma ciência viva! Conceitos de salutogênese, uma educação que cura e um olhar para a realidade espiritual do ser humano (sem uma limitação religiosa) foram as principais ideias e legados deixados por Rudolf Steiner. Um homem à frente do seu tempo, ele trouxe reflexões muito importantes sobre o ser humano, como a relação entre os indivíduos, com a sociedade, com o meio ambiente no qual estão inseridos e com algo maior — a espiritualidade.

Filósofo e cientista, Steiner contribuiu com inúmeras áreas (conforme citado em sua biografia). Sempre se atentando ao real conceito de vida e à superação de uma corrente materialista que se fundamenta só em um pensar morto, sem o exercício de uma crítica ativa nem uma visão macrocósmica sobre os assuntos estudados.

Uma das obras consideradas pelo próprio Steiner como a mais importante da sua bibliografia, A Filosofia da Liberdade, aponta para outro legado fundamental dessa grande personalidade: a qualidade e anseio da natureza humana de ser livre e os questionamentos acerca do que é liberdade e como o ser humano, em sua plena consciência, pode caminhar para ser livre.

Quais são os princípios da Pedagogia Waldorf?

A Pedagogia Waldorf foi fundada por Rudolf Steiner e é mundialmente famosa não só por suas bases filosóficas, como também pelos resultados dessa maneira de ver o outro e contribuir para sua educação. Seres humanos inteiramente fortalecidos, plenos de suas competências socioemocionais, conscientes e capazes de, por si, realizar o caminho em direção ao seu propósito interior (concretizar sonhos).

É esse um dos principais objetivos de um professor Waldorf ao ajudar na condução de um aluno. Para isso, vários elementos são estudados e implementados.

Trimembração

Um dos pontos fundamentais da Pedagogia Waldorf é a trimembração. Baseado no lema da revolução francesa, Rudolf Steiner desenvolveu a trimembração social, na qual:

  • a fraternidade deve acontecer no âmbito econômico — uns ajudando os outros;
  • a igualdade precisa ser exercida no universo jurídico — julgamentos sem excepcionalidades;
  • a liberdade atua na área cultural — cada indivíduo tem o direito de se expressar cultural e religiosamente, sem a obrigatoriedade de seguir preceitos impostos pelos demais.

No olhar do professor Waldorf para o aluno, essa mesma trimembração também traz novas nuances que são o pensar, o sentir e o querer. Essas são as três qualidades da alma, a tríade que deve ser ativada para que o aprendizado e o desenvolvimento da criança aconteçam.

Setênios

Outro ponto fundamental observado pela Pedagogia Waldorf é a biografia do aluno, respeitando a divisão das idades em setênios e observando quais são os marcos e anseios que necessitam ser atendidos em cada fase, por exemplo, na primeira infância.

Como se deu o nascimento da escola Waldorf?

Ao conhecer a filosofia de Rudolf Steiner, muitas das pessoas que estavam junto dele apontavam que era essencial apresentá-la ao mundo, impulsionando uma transformação de dentro para fora, contribuindo com os indivíduos e toda a humanidade.

Em 1919, Emil Molt, dono da fábrica de cigarros Waldorf Astória, convida Steiner a introduzir a Pedagogia Waldorf em sua empresa, promovendo o ensino para os filhos dos operários. Assim surge a primeira escola Steineriana ou Waldorf, como ficou famosa por causa do nome da fábrica.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a vida e o legado de Rudolf Steiner? Você deve ter percebido que, apesar de ser popular por causa da pedagogia, Steiner foi uma grande personalidade que também contribuiu em diversas áreas do conhecimento. Entretanto, a educação era vista como fundamental, por ser ela formativa e capaz de promover o desenvolvimento e salutogênese do estudante.

Se você gostou dessas informações e se interessou por tal caminho de ensino, então leia sobre o que você precisa para atuar em uma escola Waldorf!

Posts relacionados

Deixe um comentário