Volta às aulas Volta às aulas

Volta às aulas: o que já sabemos sobre o retorno e como se preparar

6 minutos para ler

Sabemos que, com o surto global do coronavírus, nosso cotidiano não será mais o mesmo. Ainda durante a quarentena, foi necessária a adaptação da realidade para um “novo normal” — com o objetivo de reduzir a disseminação do vírus e possibilitar a retomada gradual de serviços e atividades. Fechadas desde março, as escolas já vêm se planejando para uma volta às aulas que respeita o contexto da pandemia. Mas, como será essa nova rotina escolar? Quando acontecerá o retorno?

Diante de um cenário de incertezas, essas são dúvidas bastante comuns e que afligem instituições, alunos e sociedade em geral. Pensando nisso, preparamos este post com tudo o que já sabemos sobre a volta às aulas e como se preparar para elas. Vamos conferir?

Qual é a data estimada para o retorno das aulas presenciais?

A data para a volta às aulas é uma das notícias mais aguardadas pela comunidade escolar, não é mesmo? Embora as instituições tenham adaptado a oferta do conteúdo por meio do ensino a distância, sobretudo para aqueles que não estavam acostumados com o aprendizado virtual, o contato com o ambiente acadêmico, a interação presencial com colegas e professores e a rotina de atividades práticas definitivamente fazem falta.

O fato é que não há uma única data ou mesmo uma data concreta para a retomada dos estudos presenciais. A estimativa para o retorno depende do governo de cada estado — mas a boa notícia é que muitos já anunciaram um plano de volta às aulas. Em São Paulo, a reabertura das escolas está prevista para o dia 8 de setembro, o que vale tanto para a rede pública quanto para a particular.

No Rio de Janeiro, algumas cidades já se preparavam para a volta às aulas em julho. No entanto, a justiça determinou que as atividades escolares presenciais continuassem suspensas. A prefeitura da capital, por sua vez, prevê que o retorno aconteça após o dia 3 de agosto. O Tocantins também estuda um plano de retomada para o mesma dia.

Quais são as regras para volta às aulas?

Agora que você já tem uma ideia de quando poderá acontecer a volta às aulas, é importante entender como será a rotina de estudos nas escolas de acordo com o novo normal. Afinal de contas, mesmo que os planos de retorno estejam alinhados à situação da pandemia em cada localidade, é necessário bastante cuidado para que a retomada ocorra de forma segura para todos.

Nesse momento, o planejamento de volta às aulas no Brasil se inspira no que vem dando certo para outros países, como Alemanha, Bélgica, Grécia e China. Tudo isso para impedir que se repita o que aconteceu na França — onde foram reportados novos casos de contágio em 70 das escolas reabertas.

Veja, abaixo, o que fará parte do cotidiano escolar brasileiro com a volta às aulas em tempos de coronavírus!

Número reduzido de alunos por sala

Evitar aglomerações é uma medida imprescindível durante a pandemia. Para garantir a segurança dos envolvidos, as instituições de ensino devem começar a operar com capacidade reduzida. Os planejamentos incluem aulas em dias alternados e o revezamento de estudantes para que as salas não fiquem cheias.

Uso de máscara e álcool em gel

No novo normal, o uso de máscaras e a higienização constante das mãos (por meio de lavagens e álcool em gel) continuam fazendo parte da rotina de todos, o que também será uma regra para a volta às aulas. O governo de São Paulo, por exemplo, determinou a obrigatoriedade das máscaras e o reforço das medidas de higiene entre as pessoas.

Conferência da temperatura corporal

Uma das recomendações para a volta às aulas é que seja feita a conferência da temperatura dos estudantes, professores e funcionários diariamente na entrada das instituições de ensino. Não será permitida e entrada e a permanência de pessoas sintomáticas para o coronavírus.

Higienização constante das áreas comuns

Essa é uma medida que já vem sendo adotada em todos os tipos de estabelecimento, o que não será diferente para as escolas e faculdades. É necessário que as instituições façam a higienização frequente e adequada tanto das salas quanto dos demais espaços que serão frequentados pelos alunos e pelos profissionais.

Distanciamento entre pessoas

No retorno, a entrada e a saída dos estudantes serão controladas de modo a evitar aglomerações e acontecerão, preferencialmente, fora do horário de pico. Atividades como intervalos deverão ocorrer em revezamento de turmas. Além disso, dentro do ambiente escolar, é recomendado um distanciamento de no mínimo 1,5 metro entre as pessoas.

Modelo híbrido de ensino

A nova realidade contempla também a ascensão do ensino híbrido, que combina o estudo virtual com as atividades presenciais. Trata-se de um modelo já adotado por alguns países até mesmo antes da pandemia, como é o caso da Finlândia, referência mundial em educação.

Acompanhamento socioemocional

É inegável que a situação atual afetou a educação em todo o mundo. Por isso, embora não se trate de uma regra, um ponto importante a ser considerado é a implantação de um acompanhamento constante dos estudantes, tanto no quesito aprendizado (por meio de avaliações diagnósticas) quanto no contexto socioemocional.

Para isso, professores e educadores passariam por formações especiais, de modo a conseguir oferecer esse suporte aos alunos. As instituições familiarizadas com a Pedagogia Waldorf já estão um passo à frente nesse sentido, uma vez que o acompanhamento pedagógico individual é um dos pilares da abordagem.

Como as instituições de ensino estão se preparando?

Mesmo sem data fixa para retorno, as instituições de ensino já estão se preparando para colocar em prática as medidas levantadas acima. A principal preocupação é manter a eficácia do ensino em meio às adversidades, contemplando o bem-estar físico e mental de alunos e professores — tudo isso, é claro, sem riscos à sociedade.

Essa preparação inclui:

  • planos de ajuste na rotina escolar;
  • adaptação do currículo para o ensino híbrido;
  • treinamento e capacitação de funcionários;
  • disseminação das medidas de proteção e de prevenção;
  • alinhamento da comunicação interna e externa.

Como foi possível perceber, a previsão para a volta às aulas é marcada por incertezas e muitas novidades. O que se sabe é que a rotina escolar passará por mudanças significativas para se adaptar ao novo normal, visando a segurança do aluno, dos professores e da comunidade em geral. Todo o processo acontecerá de forma gradual, e é fundamental que as instituições se preparem adequadamente para cumprir com as orientações definidas.

Gostou de saber como será a volta às aulas no novo normal? Para continuar por dentro do assunto e receber mais conteúdos como este diretamente em seu e-mail, aproveite para assinar agora mesmo a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário